Facebook

Teses e Dissertações


2010


Aluno:Inácio Crochemore Mohnsam Silva

Título: Associação entre suporte social e atividade física no lazer em adultos

E-mail:

Área de concentração:Epidemiologia

Orientador:Helen Gonçalves

Banca examinadora:Rodrigo Siqueira Reis (UFPR) e Pedro Hallal (UFPel).

Data defesa:08/11/2010

Palavras-chave:atividade física, suporte social, lazer

O professor de Educação Física Inácio Crochemore Mohnsam da Silva realizou um estudo em Pelotas, entrevistando 2.732 indivíduos com o objetivo de analisar se o recebimento de apoio de familiares ou de amigos influencia a prática de atividade física. A pesquisa, orientada pelos professores Dr. Mario Renato Azevedo Júnior e Dra. Helen Gonçalves, foi realizada entre janeiro e abril de 2010, como parte de seu trabalho de mestrado, do Programa de Pós- Graduação em Epidemiologia da Universidade Federal de Pelotas. Nas entrevistas, foram considerados como indivíduos “ativos” aqueles que relataram, na semana anterior a entrevista, ter feito pelo menos 150 minutos de atividades físicas no lazer. Este critério é utilizado em várias pesquisas por ser considerado o tempo mínimo necessário para trazer benefícios à saúde. O apoio de familiares e amigos para fazer exercícios físicos, chamado de suporte social, foi avaliado através do incentivo e do convite dos familiares e/ou dos amigos para caminhar ou praticar atividades físicas de intensidade moderada ou forte, e, ainda, o professor avaliou se os amigos e os familiares faziam essas atividades com os entrevistados. Os resultados mostraram que quem recebeu suporte social foi, em média, duas vezes mais ativos do que quem não recebeu apoio dos familiares ou dos amigos. O grupo dos homens mais jovens (entre 20 e 39 anos) foi uma exceção. Para eles, o suporte social da família não foi tão importante para praticarem atividades físicas no lazer. Além disso, o estudo mostrou que o suporte social dos amigos foi sempre mais relevante para a prática de atividade física do que o fornecido pelos familiares.Com estes dados, o estudo destaca a necessidade de se criar estratégias de intervenção que promovam a prática regular de atividades físicas, tão importantes para a manutenção do bem estar físico e mental. Iniciativas que promovam a prática conjunta com familiares e amigos são extremamente relevantes, assim como a criação ou manutenção de espaços públicos para que as pessoas possam constantemente se exercitar. Além disso, é fundamental a população saber que o incentivo e o convite para a prática de atividade física já trazem resultados positivos. A prática regular de exercícios, além de promover a socialização entre os indivíduos, atua como fator preventivo de doenças como hipertensão, diabetes, osteoporose, alguns tipos de câncer e doenças cardiovasculares. É preocupante o fato de que em Pelotas a prática de atividade física é cada vez menor.


ARTIGO

Association between social support and leisure-time physical activity in adults

RESUMO: To explore the association between social support from family and friends and the practice of leisure-time physical activity (PA) in adults (≥20 years old).
Methodology: Population-based, cross-sectional study, conducted in Pelotas/RS. The sampling process occurred in multiple stages. Leisure-time PA was measured with the long version of the International Physical Activity Questionnaire. Those who reported an PA practice of ≥150 minutes on the week before the interview were considered active. Specific estimates for walking and moderate and vigorous PA (MVPA) were performed. Social support was collected with a Social Support Scale for PA and different exposure variables were built according to the sources of support (family or friends), levels of exposure and type of PA practice. The developed analysis was stratified by sex. For the association between social support and PA a Poisson regression was used with robust adjustment of variance. Complementary analysis stratified the sample in two age groups (20-39 years old and ≥40 years old).
Results: There was a strong association between social support and leisure-time PA in adults (RP≥ 2,0). Considering the walks, prevalence ratios between men were lower than the ones between women. Restricting the analysis to MVPA, the greatest risk measures belonged to male. Comparing the studied sources of social support, the magnitude of the association was always greater with the support from friends in relation to the social support from family, independent of the PA type. However, the effect on the individuals was even more important when the social support was provided simultaneously by family and friends.
Conclusion: It stands out the importance of different types of support for leisure-time PA practice. It is believed that the interventions based on the mobilization of individuals and their social environment will have greater effectiveness power in the promotion of active lifestyles.

Palavras-chave: Physical activity; social environment; social support; crosssectional; study; adults


Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia - Centro de Pesquisas Epidemiológicas