Facebook

Estudos

Pesquisas

Desenvolvimento psicossocial e violência

 

Coordenador

Joseph Murray

Email

prof.murray@outlook.com


Novos estudos do Centro de Pesquisas Epidemiológicas estão avaliando aspectos inéditos sobre o desenvolvimento psicossocial infantil, e sobre os determinantes e as consequências da violência ao longo do curso da vida. 

Práticas parentais precoces e desenvolvimento psicossocial infantil

Aproximadamente 250 milhões de crianças em países de baixa e média renda não conseguem atingir seu potencial de desenvolvimento aos cinco anos de idade, com prejuízos para a saúde, o bem-estar e o capital humano ao longo de toda a vida. A nutrição e os cuidados na primeira infância são considerados vitais para melhorar as perspectivas de futuro das crianças e reduzir a pobreza intergeracional. O estudo de Coorte de Nascimentos de 2015 em Pelotas irá utilizar novos parâmetros para observar a interação entre pais e filhos, com o objetivo de identificar os determinantes sociais e biológicos (cortisol como biomarcador de estresse) de diferentes práticas parentais (estimulantes versus não-estimulantes, calorosas versus ríspidas, comunicação de regras morais), e suas consequências sobre a prontidão escolar e o desenvolvimento psicossocial infantil (linguagem, função executiva, reconhecimento emocional, e agressividade). O projeto tem financiamento da Fundação Bernard Van Leer (Holanda) e Wellcome Trust (Inglaterra). 

Estudo PIÁ: Avaliação de intervenções sobre práticas parentais para a primeira infância

O estudo PIÁ (Primeira Infância Acolhida) consiste em um ensaio clínico randomizado conduzido em colaboração com a Prefeitura Municipal de Pelotas, com o objetivo de avaliar o impacto de duas intervenções dirigidas a pais e crianças com foco sobre práticas parentais, cognição. função socioemocional e agressividade infantil. As intervenções são administradas em grupos com duração de oito semanas. A primeira, “Conte Comigo”, compreende um programa de compartilhamento de livros, desenvolvido para promover o desenvolvimento cognitivo e socioemocional infantil. A segunda, “Act - Criando Crianças Seguras”, constitui-se de um programa de orientação para reduzir práticas parentais severas. 369 pares de mães e crianças da Coorte de Nascimentos de 2015 foram aleatoriamente distribuídas em um dos três grupos (Conte Comigo, Act ou controle), quando as crianças estavam com três anos de idade, e avaliações de acompanhamento foram realizadas quatro semanas e seis meses após as intervenções. Como ambas as intervenções têm curta duração e requerem treinamento simples, facilmente aplicável em locais de poucos recursos, uma demonstração de que elas trazem benefícios para práticas parentais e prevenção de fatores de- risco para a violência será de grande importância. O estudo PIÁ tem apoio da Fundação Botnar (Suíça), Wellcome Trust (Inglaterra) e Prefeitura Municipal de Pelotas (Brasil). 

Causas e consequências da violência

A violência é um dos principais problemas sociais, de justiça e de saúde pública, especialmente na América Latina, no Caribe e no sul da África. Desde o início do primeiro estudo de coorte de nascimentos em Pelotas, em 1982, os índices de violência na cidade, assim como no Brasil, aumentaram enormemente.

Um programa de pesquisa de sete anos (2018-2025), financiado por um Investigator Award, da Fundação Wellcome Trust, irá investigar as tendências temporais, os determinantes e as consequências da violência ao longo da vida, nas quatro coortes de nascimentos de Pelotas. O projeto inclui novas avaliações do funcionamento psicossocial de crianças e adolescentes e de práticas parentais, análise de níveis de cortisol a partir de amostras de cabelo, e avaliação de ambientes sociais mais amplos que podem influenciar o desenvolvimento de comportamentos violentos, além de afetar as consequências para a saúde e o funcionamento social na vida.

Galeria de imagens


Voltar

Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia - Centro de Pesquisas Epidemiológicas