Facebook

Teses e Dissertações


2019


Aluno:Nat√°lia Peixoto lima

Título: Amamenta√ß√£o e sa√ļde materna: estado nutricional, composi√ß√£o corporal e fatores metab√≥licos de risco cardiovascular

E-mail:natyplima@hotmail.com

Área de concentração:

Orientador:Bernardo Lessa Horta

Banca examinadora:Christian Zanatti, Helen Gonçalves e Iná Santos

Data defesa:22/03/2019

Palavras-chave:

LIMA, Nat√°lia Peixoto. Amamenta√ß√£o e sa√ļde materna: estado nutricional,
composição corporal e fatores metabólicos de risco cardiovascular. 2019.


Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia.
Universidade Federal de Pelotas (UFPel).
A amamenta√ß√£o apresenta benef√≠cios a curto e longo prazo. No tocante √† sa√ļde
materna, as evidências apontam que o aleitamento materno reduz o risco de
c√Ęncer de mama e ov√°rio e aumenta o intervalo entre as gesta√ß√Ķes. Contudo,
para outros desfechos as evidências não são claras, como por exemplo, índice
de massa corporal, adiposidade, densidade mineral óssea, glicemia, pressão
arterial e perfil lipídico maternos. Sendo assim, a presente tese teve como
objetivo avaliar a associação da amamentação com o estado nutricional,
composição corporal e fatores metabólicos de risco cardiovascular maternos,
nas participantes da coorte de nascimentos de 1982, Pelotas ‚Äď RS, Brasil. Tr√™s
artigos comp√Ķem a tese. O primeiro artigo da tese compreendeu uma revis√£o
sistemática e metanálise avaliando a associação entre amamentação e
densidade mineral óssea materna. Nessa revisão, não foi observada associação,
mas ao avaliar apenas os estudos que controlaram para fatores de confus√£o, a
direção da associação é no sentido de proteção do aleitamento materno.
Contudo, algumas limita√ß√Ķes metodol√≥gicas nos estudos inclu√≠dos foram
identificadas e devem ser levadas em consideração em novas pesquisas, tais
como ajustar as estimativas para fatores socioecon√īmicos e n√£o controlar para
possíveis fatores de mediação. O primeiro artigo original, o segundo desta tese,
investigou a associação entre amamentação e índice de massa corporal,
circunferência da cintura, índice de massa gorda, índice de massa livre de
gordura, razão de gordura androide/ginóide e densidade mineral óssea
maternos, sendo obtidas estimativas brutas e ajustadas através de regressão
linear. Foram avaliadas a duração total da amamentação - também analisada
estratificando para tempo desde o √ļltimo parto - e a m√©dia de amamenta√ß√£o por
filho. Os resultados indicam que a amamentação está associada a menores
medidas de IMC, de circunferência da cintura e de índice de massa gorda,
especialmente nos primeiros anos após o parto. Por fim, o terceiro artigo da tese
foi um estudo original que avaliou a associação entre aleitamento materno e
pressão arterial, espessura da carótida, velocidade de onda de pulso, glicemia e
perfil lipídico maternos, utilizando regressão linear bruta e ajustada para
possíveis fatores de confusão. A amamentação foi avaliada como duração total
da amamenta√ß√£o e dura√ß√£o da amamenta√ß√£o do √ļltimo filho, tamb√©m
analisadas estratificando para paridade e tempo desde o √ļltimo parto,
respectivamente. Os resultados sugerem que não há associação entre
amamentação e os fatores de risco cardiovascular maternos avaliados.


Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia - Centro de Pesquisas Epidemiológicas