Facebook

Teses e Dissertações


2000


Aluno:Denise Petrucci Gigante

Título: Lacta√ß√£o e Avalia√ß√£o Nutricional em Mulheres

E-mail:denise@epidemio-ufpel.org.br

Área de concentração:Epidemiologia

Orientador:Cesar Gomes Victora

Banca examinadora:Cesar Gomes Victora (Presidente), Denise Coitinho (UNB), Elsa Giugliani (UFRGS), Ana Maria Baptista Menezes (UFPEL), In√° da Silva dos Santos (UFPEL)

Data defesa:22/09/2000

Palavras-chave:aleitamento materno, mães, lactação, peso corporal, estado nutricional

LACTA√á√ÉO E SITUA√á√ÉO NUTRICIONAL EM MULHERES: UMA REVIS√ÉO SISTEM√ĀTICA DA LITERATURA

O efeito da lacta√ß√£o sobre a situa√ß√£o nutricional materna √© controverso. Estudos que investigaram mudan√ßa de peso p√≥s-parto entre lactantes e n√£o lactantes foram identificados atrav√©s de uma pesquisa no Medline, a partir de 1966 a junho de 2000. Foram utilizadas as seguintes palavras-chave: ‚Äúlactation or breastfeeding‚ÄĚ e ‚Äúmaternal obesity or maternal overweight or weight retention or body composition or weight loss or weight gain‚ÄĚ e ‚Äúfemale or adult‚ÄĚ e ‚Äúhuman‚ÄĚ. Foram exclu√≠dos os estudos que n√£o referiram compara√ß√£o entre os √≠ndices nutricionais maternos em lactantes e n√£o lactantes, resultando em 42 estudos inclu√≠dos. Seis artigos que investigaram o efeito do controle de peso materno sobre a lacta√ß√£o tamb√©m foram inclu√≠dos. Entre os estudos revisados, 24 n√£o encontraram associa√ß√£o entre lacta√ß√£o e reten√ß√£o de peso materno. O efeito protetor da lacta√ß√£o sobre a reten√ß√£o de peso foi observado em doze artigos, enquanto seis mostraram o oposto. Na maioria dos estudos n√£o houve controle para importantes fatores de confus√£o e, com algumas exce√ß√Ķes, o per√≠odo de acompanhamento n√£o foi suficiente para avaliar mudan√ßa a longo prazo. Estudos que avaliaram o efeito do controle de peso sobre a lacta√ß√£o mostraram que uma perda de at√© 0,5 kg/semana n√£o afetou o desempenho da lacta√ß√£o. N√£o h√° evid√™ncia conclusiva sugerindo que a lacta√ß√£o protege contra obesidade materna.DESCRITORES: aleitamento materno, m√£es, lacta√ß√£o, peso corporal, estado nutricional, revis√£o sistem√°tica.NUTRI√á√ÉO MATERNA E A DURA√á√ÉO DA AMAMENTA√á√ÉO EM UMA COORTE DE NASCIMENTO DE PELOTAS, RS.INTRODU√á√ÉO: Os efeitos da situa√ß√£o nutricional materna sobre a dura√ß√£o da amamenta√ß√£o s√£o inconsistentes na literatura. Esses efeitos foram investigados em uma coorte de nascimentos hospitalares.MATERIAL E M√ČTODO: Foram estudadas 977 mulheres que tiveram filhos no ano de 1993, em Pelotas (representando 20% dos nascimentos ocorridos naquele ano). Os efeitos da situa√ß√£o nutricional materna e de vari√°veis socioecon√īmicas e demogr√°ficas sobre a preval√™ncia de amamenta√ß√£o aos seis meses de idade, bem como sobre a dura√ß√£o da amamenta√ß√£o foram analisados atrav√©s de regress√£o log√≠stica e regress√£o de Cox, respectivamente.RESULTADOS: A an√°lise multivariada mostrou que a preval√™ncia de amamenta√ß√£o foi mais alta entre mulheres que iniciaram a gesta√ß√£o com 49 kg ou mais (RO = 1,31; IC95% 1,04 - 1,64) e a associa√ß√£o com altura materna foi no limiar da signific√Ęncia (p=0,06). A regress√£o de Cox mostrou um efeito protetor, no limiar da signific√Ęncia, do maior peso pr√©-gestacional sobre o desmame (RR = 0,91; IC95% 0,82 ‚Äď 1,01). N√£o houve diferen√ßa na dura√ß√£o da amamenta√ß√£o quanto √† altura materna. O ganho de peso gestacional n√£o mostrou associa√ß√£o com preval√™ncia ou dura√ß√£o da amamenta√ß√£o. A idade materna, a paridade, o h√°bito de tabagismo e a idade gestacional estiveram associados significativamente com a amamenta√ß√£o em ambas an√°lises. A renda familiar mostrou associa√ß√£o com a preval√™ncia de amamenta√ß√£o aos seis meses e o peso ao nascer com a dura√ß√£o da amamenta√ß√£o. CONCLUS√ÉO: O peso pr√©-gestacional foi um melhor preditor para dura√ß√£o da amamenta√ß√£o do que o ganho de peso gestacional.DESCRITORES: Aleitamento materno, estat√≠sticas e dados num√©ricos. Nutri√ß√£o da m√£e. Estado nutricional. Fatores socioecon√īmicos. Fatores et√°rios. Peso corporal. M√£es.

LONG-TERM EFFECT OF LACTATION ON MATERNAL ANTHROPOMETRY AND BODY COMPOSITION The effect of lactation on maternal nutrition is controversial. Some studies showed that breastfeeding reduces weight retention, while some do not. All studies are restricted to the first two years after delivery. We investigated the effect of lactation on maternal nutrition five years after delivery. All mothers giving birth in the city of Pelotas, Brazil, in 1993 were measured soon after delivery. In 1994, information on breastfeeding duration and pattern was collected for a 20% subsample. They were seen again in 1998, and those eligible (non-smokers, no subsequent pregnancy, last birthweight ? 2500 g) underwent measurements for weight, height, waist, hip and arm circumferences, triceps and subscapular skinfolds. The following indices were calculated: body mass index, waist/hip ratio, arm fat area, percent body fat assessed through skinfolds, weight and body mass index (BMI) change since delivery. Percent body fat was also measured through bioimpedance for half the sample. After adjustment for confounding, all outcomes tended to show a similar pattern: mothers who breastfed for 6-11.9 months had lower measurements than those with shorter or longer durations. However, only the association with bioimpedance was significant (p<0.03), and that for arm fat area was borderline (p=0.06). Exclusive or predominant breastfeeding at 4 months was associated with lower waist circumference (p=0.05) and percent body fat measured through skinfolds (p=0.04). This study suggests that the relationship between breastfeeding and long-term weight retention is complex and, in this population, not particularly strong. KEYWORDS: breast feeding; body composition; anthropometry; mother nutrition

 


Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia - Centro de Pesquisas Epidemiológicas