Facebook

Teses e Dissertações


2002


Aluno:Maria Cristina Gonzalez Barbosa e Silva

Título: Avalia√ß√£o do estado nutricional pr√©-operat√≥rio e sua rela√ß√£o com complica√ß√Ķes p√≥s-operat√≥rias em cirurgias do aparelho digestivo

E-mail:cristinagbs@hotmail.com

Área de concentração:Epidemiologia

Orientador:Aluísio Jardim Dornellas de Barros

Banca examinadora:Alu√≠sio Jardim Dornellas de Barros (presidente), Cora Luiza Ara√ļjo (UFPEL), Ant√īnio Carlos Campos (UFPR), Bernardo Lessa Horta (UCPEL), Dan Linetzky Waitzberg (FMUSP)

Data defesa:12/12/2002

Palavras-chave:avalia√ß√£o nutricional, bio-imped√Ęncia el√©trica, aparelho digestivo

AVALIA√á√ÉO NUTRICIONAL SUBJETIVA: PARTE 1 ‚Äď UMA REVIS√ÉO DE SUA VALIDADE AP√ďS DUAS D√ČCADAS DE USORacional: A avalia√ß√£o nutricional subjetiva (ANS) √© um m√©todo cl√≠nico de avalia√ß√£o do estado nutricional, que considera n√£o apenas altera√ß√Ķes da composi√ß√£o corporal, mas tamb√©m altera√ß√Ķes funcionais do paciente. √Č um m√©todo simples, de baixo custo e n√£o invasivo, podendo ser realizado √† beira do leito, sendo descrito seu uso pela primeira vez h√° quase duas d√©cadas. Objetivos: Revisar os estudos de valida√ß√£o da ANS descritos na literatura nas √ļltimas duas d√©cadas de seu uso.M√©todos: Foi realizada uma revis√£o sistem√°tica na Medline utilizando o descritor ‚Äúsubjective global assessment‚ÄĚ e selecionado os trabalhos mais relevantes.Resultados: Por se tratar de um m√©todo subjetivo, a precis√£o do m√©todo depende da experi√™ncia do observador. Por√©m, quando usado por observadores experientes, o m√©todo apresenta boa precis√£o diagn√≥stica. A ANS foi validada atrav√©s da valida√ß√£o convergente, onde o m√©todo foi comparado com outros m√©todos objetivos de avalia√ß√£o nutricional, e da valida√ß√£o preditiva, mostrando que a t√©cnica identificou pacientes de alto risco para desenvolver complica√ß√Ķes p√≥s-operat√≥rias.Conclus√£o: A ANS tem se mostrado uma boa op√ß√£o na avalia√ß√£o nutricional de pacientes cir√ļrgicos e algumas modifica√ß√Ķes t√™m sido sugeridas para o uso do m√©todo tamb√©m em outras especialidades. A experi√™ncia do observador √© de extrema import√Ęncia, uma vez que dela depende a precis√£o do m√©todo.

AVALIA√á√ÉO NUTRICIONAL SUBJETIVA: PARTE 2 ‚Äď UMA REVIS√ÉO DE SUAS ADAPTA√á√ēES E UTILIZA√á√ēES NAS DIVERSAS ESPECIALIDADES CL√ćNICAS

Racional: A avalia√ß√£o nutricional subjetiva (ANS) √© um m√©todo cl√≠nico de avalia√ß√£o do estado nutricional, que considera n√£o apenas altera√ß√Ķes da composi√ß√£o corporal, mas tamb√©m altera√ß√Ķes funcionais do paciente. √Č um m√©todo simples, de baixo custo e n√£o invasivo, podendo ser realizado √† beira do leito. Embora a ANS tenha sido desenvolvida para avaliar pacientes cir√ļrgicos, v√°rios estudos mostram seu uso em outras situa√ß√Ķes cl√≠nicas, como pacientes com insufici√™ncia renal, pacientes oncol√≥gicos, hepatopatas, geri√°tricos e HIV positivos. Objetivo: Revisar o uso da ANS em outras situa√ß√Ķes cl√≠nicas e estudos de interven√ß√£o. M√©todos: Foi realizada uma revis√£o sistem√°tica na Medline utilizando o descritor ‚Äúsubjective global assessment‚ÄĚ e selecionados os trabalhos mais relevantes.Resultados: Foram encontradas adapta√ß√Ķes da ANS para seu uso em pacientes com insufici√™ncia renal, pacientes oncol√≥gicos e hepatopatas, com bons resultados neste tipo de pacientes. Em estudos de interven√ß√£o em pacientes oncol√≥gicos, a ANS tem sido utilizada para identificar pacientes de maior risco nutricional e necessitam de terapia nutricional agressiva. Poucos estudos de interven√ß√£o de pacientes cir√ļrgicos utilizaram a avalia√ß√£o nutricional subjetiva como m√©todo para identifica√ß√£o do paciente de risco nutricional.Conclus√£o: A ANS tem se mostrado uma boa op√ß√£o na avalia√ß√£o nutricional de pacientes cir√ļrgicos e algumas modifica√ß√Ķes t√™m sido sugeridas para o uso do m√©todo tamb√©m em outras especialidades. A experi√™ncia do observador √© de extrema import√Ęncia, uma vez que dela depende a precis√£o do m√©todo.

BIOELECTRICAL IMPEDANCE ANALYSIS: POPULATION REFERENCE VALUES FOR PHASE ANGLE BY AGE AND SEXBackground & Aims: Phase angle (PA) is a direct measure obtained from bioelectrical impedance analysis (BIA). Although its biologic meaning is not very clear, it seems to have an important prognostic role. The aim of this study is to calculate population averages and standard deviations of PA that could be used as reference values.Methods: 1967 healthy adults were submitted to BIA and other body composition tests, including hydrodensitometry, total body water, whole-body 40K counting and DEXA. PA was calculated directly from Xc and R, and fat mass (FM) was estimated using the 3-compartment Siri equation. PA values were compared between sexes and age, body mass index (BMI) and % of fat mass categories.Results: Phase angle is smaller in women and decreases with aging. Its values are directly proportional to BMI, and it was found a significative inverse linear trend in phase angle values between percent of fat in men. In a regression analysis, sex, age, BMI and % of fat seem to be significant variables to predict phase angle.Conclusions: PA differs between sex, age, BMI and percentage of fat categories. The use of these reference values may show the predictive role of phase angle in clinical application.Key words: bioelectrical impedance analysis; phase angle; nutritional assessment; diagnostic methods; adults.

IMPED√āNCIA BIOEL√ČTRICA E CARACTER√ćSTICAS INDIVIDUAIS COMO FATORES PROGN√ďSTICOS PARA COMPLICA√á√ēES P√ďS-OPERAT√ďRIAS

Introdu√ß√£o e Objetivos: V√°rios m√©todos de avalia√ß√£o nutricional t√™m sido utilizados para identificar os pacientes de maior risco nutricional, existindo outras vari√°veis que podem contribuir para este efeito. M√©todos novos, como a imped√Ęncia bioel√©trica, n√£o foram avaliados com esta finalidade. O objetivo deste trabalho foi avaliar a import√Ęncia das vari√°veis nutricionais como preditores de morbidade p√≥s-operat√≥ria numa regress√£o multivariada.M√©todo: 225 pacientes adultos, candidatos √† cirurgia do aparelho digestivo, tiveram seu estado nutricional avaliados por v√°rios m√©todos, inclusive imped√Ęncia bioel√©trica (√Ęngulo de fase ‚Äď AF e raz√£o massa extra celular/massa celular corporal ‚Äď MEC/MCC) e avalia√ß√£o nutricional subjetiva (ANS). Poss√≠veis vari√°veis de confundimento tamb√©m foram avaliadas. Foram monitorizadas complica√ß√Ķes p√≥s-operat√≥rias at√© o momento da alta hospitalar.Resultados: Perda de peso acima de 10%, ANS, avalia√ß√£o de risco nutricional, raz√£o MEC/MCC e AF foram fatores progn√≥sticos significativos de complica√ß√Ķes p√≥s-operat√≥rias na an√°lise bruta. Na regress√£o log√≠stica e de Poisson multivariada, ap√≥s ajuste para vari√°veis como sexo, estado civil, idade, neoplasia e presen√ßa de infec√ß√£o pr√©-operat√≥ria, apenas o AF permaneceu como fator nutricional progn√≥stico significativo (RR = 4,3; IC 95% 1,6-11,8 para AF < -0,8 d.p.). Conclus√Ķes: O AF √© um fator progn√≥stico nutricional significativo, mesmo ap√≥s ajuste para poss√≠veis vari√°veis de confus√£o. Outros estudos poder√£o mostrar sua utilidade na identifica√ß√£o de pacientes de risco nutricional que necessitem de terapia nutricional pr√©-operat√≥ria.Palavras chave: desnutri√ß√£o; avalia√ß√£o subjetiva global; bioimped√Ęncia; imped√Ęncia bioel√©trica; √Ęngulo de fase; fatores progn√≥sticos; complica√ß√Ķes p√≥s-operat√≥rias; cirurgia gastrintestinal; adultos.

 


Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia - Centro de Pesquisas Epidemiológicas