Facebook

Sala de Imprensa

19/12/2022

Defesa de Tese

Título: Pathways to universal access to sexual and reproductive health care in low- and middle-income countries

Orientador: Prof. Dr. Aluísio Barros

Banca: Prof. Dr. Fernando César Wehrmeister, Prof.ª Dr.ª Mariângela Freitas da Silveira e Prof.ª Dr.ª Oona Campbell (London School of Hygiene and Tropical Medicine). 

Organizações nacionais e internacionais estão comprometidas em aumentar a cobertura de serviços de planejamento familiar, mas qualidade dos serviços precisa melhorar

Satisfazer a demanda por planejamento familiar é fundamental para melhor qualidade de vida e é considerado um direito humano básico. Acesso universal a serviços de saúde sexual e reprodutiva está em dois dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, relacionado com boa saúde e bem-estar e com equidade de gênero. Apesar dos esforços feitos por governos e organizações internacionais, vários países de baixa e média renda ainda apresentam altos níveis de demanda por planejamento familiar insatisfeita e vários aspectos relacionados a qualidade dos serviços fornecidos ainda não foram investigados. Um estudo desenvolvido no Centro Internacional de Equidade em Saúde e publicado em uma tese de doutorado do Programa de Pós-graduação em Epidemiologia da Universidade Federal de Pelotas, avaliou barreiras, limitações e facilitadores à cobertura universal de serviços de planejamento familiar em 105 países de baixa e média renda e revelou que países que conseguiram aumentar rapidamente a demanda por planejamento familiar satisfeita e reduzir desigualdades na cobertura também tiveram reduções nos níveis de pobreza e desigualdade de gênero. “Nós notamos que junto desses avanços econômicos e culturais, esses países de sucesso incluíram planejamento familiar em serviços de atenção primária e fizeram fortes esforços tanto para fornecer uma ampla gama de métodos contraceptivos quanto para melhorar o treinamento dos profissionais de saúde”, continua a pesquisadora Franciele Hellwig. O estudo também identificou importantes questões remanescentes. “Além do nível nacional de cobertura, é crucial que os serviços sejam fornecidos com qualidade e de uma forma acessível. Nossos resultados de que adolescentes ainda estão sendo deixadas para trás na maioria dos países analisados, especialmente as não casadas sexualmente ativas que dependem dos serviços privados ou de amigos para obter contraceptivos,  e que um método invasivo e irreversível como a ligadura de trompas ainda é um grande responsável pela demanda satisfeita, mesmo entre mulheres jovens e com poucos filhos, salientam a necessidade de novas estratégias relacionadas à qualidade dos serviços de planejamento familiar”, enfatiza a autora. Os autores esperam que o estudo contribua com o desenvolvimento de políticas e estratégias para promover serviços de planejamento familiar equitativos e humanizados em países de baixa e média renda.  


Auditório A - DATA:19/12/2022 - HORA:10:00hs

Apresentador: Franciele Hellwig





Voltar

Veja Também


Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia - Centro de Pesquisas Epidemiológicas