Facebook

Teses e Dissertações


2016


Aluno:Carolina Avila Vianna

Título: Velocidade de onda de pulso e composição corporal nos adultos da coorte de 1982 – fatores precoces e contemporâneos

E-mail:caruvianna@hotmail.com

Área de concentração:Epidemiologia do Ciclo Vital

Orientador:Bernardo Lessa Horta

Banca examinadora:Iná Santos, Maria Cristina Gonzales e Vera Freitas da Silveira.

Data defesa:22/08/2016

Palavras-chave:Coorte 1982, Obesidade, Composição Corporal, Velocidade de Onda de Pulso

A “epidemia” da obesidade tem sido um importante problema de saúde pública nas últimas décadas e está fortemente relacionada com o desenvolvimento das doenças cardiovasculares (DCV). A obesidade aumenta o risco de desenvolvimento de hipertensão, diabetes mellitus e dislipidemia, bem como dificulta o controle destas doenças, criando um círculo vicioso que culmina com o aumento da mortalidade cardiovascular. Além destes fatores de risco tradicionais, pesquisas tem sido feitas para identificar marcadores precoces de risco cardiovascular. A rigidez arterial ocorre no processo aterosclerótico, que por sua vez é o principal mecanismo das DCV. A velocidade da onda de pulso arterial carotídea-femoral (VOP) é considerada o padrão-ouro para medir a rigidez arterial, além de ser um método não-invasivo, indolor e de fácil reprodutibilidade. Evidências sugerem que a VOP é um preditor de eventos cardiovasculares e têm sido associada com diversas patologias, como hipertensão, diabetes, doença renal e neurológica, bem como com a obesidade. Em 2012-2013 ocorreu o acompanhamento dos 30 anos da Coorte de Nascimentos de Pelotas de 1982. Todos os participantes foram procurados, sendo que 3701 (68% da coorte original) compareceram à clínica do Centro de Pesquisas e foram entrevistados e examinados. Em relação a VOP, obtivemos 1576 medidas válidas (42.6% dos entrevistados). A presente tese é composta por 3 artigos conforme regulamento do Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia da Universidade Federal de Pelotas. No primeiro artigo analisamos fatores precoces, como condições de nascimento e nutrição infantil, e sua relação com a VOP aos 30 anos. Identificamos que o ganho de peso relativo após os 2 anos estava associado com VOP aos 30 anos, enquanto que o peso ao nascer e o crescimento nos dois primeiros anos não apresentou associação. Este achado sugere que o aumento de peso acima do esperado após os dois anos está associado com aumento de risco cardiovascular na idade adulta. Posteriormente, no segundo artigo, investigamos a relação entre as medidas de gordura corporal, como índice de massa corporal (IMC), circunferência da cintura (CC), gordura visceral, gordura abdominal subcutânea e massa gorda, e a VOP aos 30 anos. Dentre estas medidas, o IMC, a gordura visceral e a massa gorda apresentaram uma maior correlação com a VOP aos 30 anos, mesmo após controle para os potenciais fatores de confusão. Por último, realizamos uma revisão sistemática e meta-análise sobre obesidade (medida pelo IMC) e VOP. Apesar do pequeno número de estudos incluídos na meta-análise, os achados confirmaram que a VOP está positivamente associada com a obesidade.
Palavras-chave: Epidemiologia;Velocidade de onda de pulso;Composição corporal;Coorte de nascimentos;Obesidade.

Abstract:

The "epidemic" of obesity has been a major public health problem in recent decades and is strongly related to the development of cardiovascular disease (CVD). Obesity increases the risk of developing hypertension, diabetes mellitus and dyslipidemia, as well as complicating the control of these diseases, creating a vicious circle that culminates with increased cardiovascular mortality. In addition to these traditional risk factors, research has been done to identify early markers of cardiovascular risk. The arterial stiffness occurs in atherosclerosis, which in turn is the main mechanism of CVD. The velocity of the wave of carotid-femoral arterial pulse (PWV) is considered the gold standard for measuring arterial stiffness, in addition to being a method noninvasive, painless and easy to reproduce. Evidence suggests that the PWV is a predictor of cardiovascular events and has been associated with several pathologies such as hypertension, diabetes, renal and neurological disease, as well as obesity. In 2012-2013 was the follow-up of 30 years of participating in the Pelotas Birth Cohort from 1982. All participants were sought, of which 3701 (68% of the original cohort) attended the Clinic and Research Center were interviewed and examined. Regarding PWV, we obtained 1576 valid measures (42.6% of respondents). This thesis consists of three articles in accordance with regulations of the Graduate Program in Epidemiology, Federal University of Pelotas. In the first article we analyze early factors, such as conditions of birth and infant nutrition, and their relationship with the PWV at 30 years. We found that relative weight gain after 2 years of age was associated with PWV at 30 years, while birth weight and growth in the first two years was not associated. This finding suggests that a weight gain more than expected after two years of age is associated with increased cardiovascular risk in adulthood. Later, in the second article, we investigate the relationship between measures of body fat, as body mass index (BMI), waist circumference (WC), visceral fat, subcutaneous abdominal fat and fat mass, and the PWV at 30 years. Among these measures, BMI, visceral fat and fat mass showed a higher correlation with PWV after 30 years, even after controlling for potential confounders. Finally, we conducted a systematic review and meta-analysis of obesity (measured by BMI) and PWV. Despite the small number of studies included in the meta-analysis, the findings confirmed that the PWV is positively associated with obesity.
Keywords: Epidemiology;Pulse Wave Velocity;Body composition;Birth Cohort Study;Obesity


Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia - Centro de Pesquisas Epidemiológicas