Facebook

Teses e Dissertações


2010


Aluno:Renata Moraes Bielemann

Título: Validação de uma Medida Subjetiva para Avaliação da Prática de Atividade Física em Crianças

E-mail:

Área de concentração:Epidemiologia

Orientador:Denise Petrucci Gigante

Banca examinadora:Alex Antônio Florindo- USP; Bernardo Lessa Horta - UFPel

Data defesa:09/11/2010

Palavras-chave:Prática de atividade física, criança, medida subjetiva

Atualmente está bem estabelecida a importância da atividade física na prevenção de doenças crônicas. No entanto, a maioria dos estudos que avaliam esse tema é realizada com população adulta, sendo a atividade física na infância pouco estudada, principalmente em países de renda média ou baixa, como o Brasil. Em vista disso, a professora de Educação Física Renata Moraes Bielemann, que está concluindo o mestrado em Epidemiologia, realizou um estudo sobre os métodos de avaliação da atividade física em crianças. A medida de atividade física pode ser feita através da aplicação de um questionário ou de aparelhos mais objetivos, como os acelerômetros, que são utilizados geralmente adaptados à cintura e que medem o tempo e intensidade em que as atividades físicas diárias são realizadas. Esses instrumentos são considerados os mais adequados para informar a atividade física habitual. A atividade física de crianças de 4 a 11 anos, moradoras na zona urbana de Pelotas foi avaliada através do acelerômetro no primeiro semestre de 2010 e foi possível constatar que três de cada quatro crianças realizavam atividade física de acordo com as recomendações, ou seja, pelo menos 60 minutos por dia de atividade moderada ou vigorosa. Assim, esses resultados mostram que a prática de atividade física parece não constituir um problema importante nesse grupo etário, onde o aumento na ocorrência de obesidade e de suas consequências também já é observado. Considerando que o acelerômetro é um instrumento caro e que nem sempre está disponível, este estudo comparou a atividade física medida através do acelerômetro com aquela obtida por um questionário simples e com poucas perguntas. No entanto, os resultados mostram que o questionário, embora de mais fácil, barata e rápida aplicação, não foi capaz de avaliar a atividade física dessas crianças da mesma forma que o acelerômetro. Assim, o estudo conclui que a utilização desses aparelhos ainda é a melhor medida a ser utilizada na avaliação da atividade física na população infantil.


Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia - Centro de Pesquisas Epidemiológicas