Facebook

Teses e Dissertações


2010


Aluno:Giancarlo Bacchieri

Título: Intervenção comunitária para prevenção de acidentes de trânsito entre trabalhadores ciclistas: PROJETO CICLOVIDA

E-mail:gibac@hotmail.com

Área de concentração:Epidemiologia

Orientador:Aluísio J. D. Barros

Banca examinadora:Selma Maffei de Andrade - UEL ; Anaclaudia Fassa - UFPel ; Pedro Hallal - UFPel

Data defesa:10/12/2010

Palavras-chave:Prevenção de acidentes; ciclistas; trabalhadores

Utilizada como modo de transporte por trabalhadores em várias cidades do mundo, a bicicleta tem como principal vantagem seu baixo custo de aquisição e manutenção, além de trazer benefícios à saúde de quem a utiliza regularmente. Em contraponto, acidentes de trânsito envolvendo ciclistas são freqüentes, causando mortes e incapacidades. Em Pelotas circulam, diariamente, cerca de 19 mil trabalhadores que utilizam a bicicleta como principal modo de transporte. A cada ano, centenas desses ciclistas sofrem acidentes de trânsito, muitos deles com graves ferimentos e, até mesmo, à morte.
O Projeto Ciclovida é um estudo de intervenção do tipo antes e depois, com implementação escalonada, que objetiva implementar e avaliar o impacto de uma intervenção para prevenir acidentes de trânsito com ciclistas. O estudo será dividido em 4 etapas: Grupos focais; Amostragem e questionário base; Acompanhamento mensal e Intervenção. Os Grupos focais serão realizados com o objetivo de definir o desenho final da intervenção proposta pelo estudo. O processo de amostragem será realizado em múltiplos estágios, utilizando 5 bairros da cidade de Pelotas, nos quais serão sorteados, aleatoriamente, 8 setores com alta proporção de trabalhadores que utilizam a bicicleta como modo de transporte, totalizando 40 setores censitários. Em cada setor sorteado, serão convidados cerca de 30 ciclistas que contemplem os critérios de elegibilidade do estudo. A cada um deles será aplicado um questionário com questões relacionadas à utilização da bicicleta a acidentes sofridos nos 12 meses anteriores a entrevista, entre outras questões. Após a entrevista inicial, os ciclistas serão acompanhados mensalmente, via ligações telefônicas, para coletar dados sobre a utilização da bicicleta
e ocorrência de acidentes e/ou “quase-acidentes”, por um período de 10 meses. Periodicamente, grupos de ciclistas da amostra serão convidados a participar de um evento, no qual receberão a intervenção. A mesma consistirá de um conjunto de atividades, com objetivo de promover a segurança dos ciclistas no trânsito. A intervenção será dividida em um componente educacional e um componente de segurança ativa no trânsito. A comparação da ocorrência de acidentes e/ou “quaseacidentes” entre os ciclistas da amostra, nos períodos pré e pós-intervenção, avaliará o impacto da proposta. Caso a hipótese desse estudo seja confirmada, a metodologia utilizada na intervenção poderá ser replicada para garantir a segurança, não só de trabalhadores, mas de todas as pessoas que utilizam a bicicleta como modo de transporte ou para o lazer.

ARTIGOS

1- Cycling to work in Brazil: users profile, risk behaviors, and traffic accident occurrence

RESUMO: In 2006, we carried out a cross-sectional study in the urban area of Pelotas, Southern Brazil, with the aim of outlining the profile of bicycle commuters, analyzing their use of safety equipment and risk behaviors and the association between these variables and involvement in traffic accidents in the previous 12 months. This study was based on the baseline survey carried out prior to an educational intervention aimed at reducing accidents among cyclists. The sample included 1133 male subjects aged 20 years or more, and who used a bicycle for commuting. Crude and adjusted analyses were carried out using Poisson regression. We recorded a total of 152 reported traffic accidents in the 12 months preceding the interview, involving 10.8% of subjects. Most risk behaviors studied and the use of safety equipment showed no significant association with accidents. Only commuting by bicycle seven days per week, as opposed to five or six, and a combination of extremely imprudent behaviors such as zigzagging through traffic, riding after ingesting alcohol, and high-speed riding were found to be risk factors for accidents. Our findings suggest that in the context where the study was done (poor road signaling, limited policing, aggressive driving) changing cyclist behavior may not have substantial impact in terms of accident reduction before other road traffic interventions are implemented.
Palavras-chave: Cyclists; Workers; Traffic accidents

2- Intervenção comunitária para prevenção de acidentes de trânsito entre trabalhadores ciclistas

RESUMO: Avaliar uma intervenção educacional de prevenção de acidentes de trânsito com trabalhadores que utilizam a bicicleta como modo de transporte.
MÉTODOS: Estudo de intervenção, longitudinal, com implementação escalonada, realizado em cinco bairros com características geográfi cas distintas na cidade de Pelotas, RS, de janeiro de 2006 a maio de 2007. Foram sorteados 42 setores censitários desses bairros. Todos os domicílios foram visitados em busca de trabalhadores do sexo masculino que utilizassem a bicicleta como modo de transporte, resultando em uma amostra de 1.133 indivíduos. Foram analisados como desfechos “acidentes de trânsito” e de “quase-acidentes”. Mensalmente, via telefone, os ciclistas eram questionados a respeito da ocorrência de acidentes de trânsito e de “quase-acidentes”. Quinzenalmente, a partir do segundo mês de acompanhamento, um grupo de aproximadamente 60 ciclistas era convidado a participar da intervenção, que incluía um componente educativo (palestra e apresentação de vídeo educativo), distribuição de um kit de segurança (colete noturno refl etivo, cartilha educativa e fi tas refl etivas) e revisão dos freios da bicicleta (manutenção realizada se necessário). Regressão de Poisson, com ajuste para o efeito do tempo, foi utilizada para medir o efeito da intervenção.
RESULTADOS: Aproximadamente 45% dos ciclistas não compareceram à intervenção. Durante o período do estudo, 9% dos indivíduos informaram um acidente de trânsito e 88%, um quase-acidente. No total, ocorreram 106 acidentes e 1.091 quase-acidentes. Não foi observado efeito da intervenção em ambos os desfechos.
CONCLUSÕES: A intervenção proposta não foi capaz de reduzir acidentes entre trabalhadores ciclistas. Falta de interesse em segurança por parte dos ciclistas e fatores externos, tais como infra-estrutura das vias e comportamento dos motoristas, podem ter colaborado para esse resultado.
Palavras-chave: Acidentes de Trânsito, prevenção e controle. Trabalhadores. Ciclismo.

3- Acidentes de trânsito no Brasil: De 1998 a 2010, muitas mudanças e poucos resultados. Uma revisão da literatura.

RESUMO: Este artigo tem por objetivo construir um panorama da situação do trânsito no Brasil, desde a implementação do Código de Trânsito Brasileiro de 1998 até o ano de 2010, através da análise dos principais trabalhos científicos e publicações não acadêmicas nacionais. A revisão de literatura foi realizada mediante busca de periódicos indexados, não indexados, relatórios técnicos, busca específica por autores, referências bibliográficas de artigos e contato com pesquisadores. Os tópicos estudados revelaram os principais problemas do trânsito brasileiro como o aumento do número de mortos e da taxa de mortalidade, ampliação da frota de motos e sua consequência, álcool e direção, entre outros. Possíveis soluções apontadas por pesquisadores também são apresentadas. Ilhas de produção de conhecimento e importantes autores foram observados nas diversas áreas pesquisadas. Na conclusão é comentada a responsabilidade do poder público em relação à ocorrência dos acidentes de trânsito e a possibilidade de real redução dos mesmos com ações contínuas e rigorosas.

Palavras-chave: Acidentes de Trânsito; Causas Externas; Mortalidade; Pedestres;
Motociclistas; Veículos Automotores.


Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia - Centro de Pesquisas Epidemiológicas