Facebook

Teses e Dissertações


2000


Aluno:Maura Cavada Malcon

Título: Prevalência e fatores de risco do tabagismo em adolescentes em um estudo de base populacional, Pelotas, RS

E-mail:

Área de concentração:

Orientador:Ana Maria Baptista Menezes

Banca examinadora:Aluísio Barros, Maria Teresa Olinto e Aloysio Cechella Achutti

Data defesa:19/12/2000

Palavras-chave:Fumo, criança, adolescência, América do Sul.

Resumo dos Artigos:

RESUMOO tabagismo em adolescentes vem crescendo nos últimos anos, em vários países. Sabe-se que 33% a 50% dos adolescentes que iniciam a fumar tornam-se drogaditos. O objetivo dessa revisão da literatura foi descrever, de forma sistemática, a prevalência e fatores de risco associados ao tabagismo em adolescentes, na América do Sul. A revisão foi realizada na Medline e Lilacs com os descritores: fumo, adolescência, criança, América do Sul. Ampliaram-se as buscas em outras fontes para obter-se mais artigos. A busca detectou 306 artigos sendo que 40 foram relevantes conforme critérios de inclusão e exclusão. Verificou-se que a maioria dos estudos utilizou delineamento transversal de base escolar, sendo que o maior número de estudos foi proveniente do Brasil e Chile. Estudos recentes em escolares, no Brasil, mostraram prevalências de 10,3% a 11,6%. No Chile, as prevalências em escolares foram bastante altas (10,6% a 58,3%). Encontrou-se quatro estudos de base populacional no Brasil, três no Chile, um na Argentina, um no Paraguai, um na Venezuela, um no Peru, um na Bolívia e um estudo multicêntrico da América do Sul. O único estudo populacional do Brasil, com amostra representativa do país, de 1989, mostrou prevalência de 8,9%. Estudos de base populacional representativos do Chile, de 1994, 1996 e 1998, demonstraram prevalências de 24,3%, 28,9% e 25,9%, respectivamente. Fumo dos irmãos e amigos foram os fatores de maior risco para tabagismo na adolescência apontados nos estudos. Baixo rendimento escolar, adolescentes mais velhos, sexo masculino, trabalho remunerado e separação dos pais também foram identificados como fatores de risco.Conclui-se que são necessários mais estudos de base populacional representativos dos adolescentes e critérios uniformes para fumante. Palavras-chave: fumo, criança, adolescência, América do Sul.PREVALENCE AND RISK FACTORS FOR SMOKING IN ADOLESCENTS:A SYSTEMATIC REVIEW OF LITERATUREABSTRACTTobacco in adolescence is growing up in several countries in the last years. It is known that 33% to 50% of adolescents who start to smoke remain drug addict as adults. The objective of this systematic review of literature was to know the prevalence and risk factors for smoking in adolescents in South of America. A Medline and Lilacs search identified the studies and included the articles with the keywords: smoking, adolescence, child, South of America. Other sources were searched in order to identify more studies. It was found 306 papers from which 40 were relevant after inclusion and exclusion criterions. The majority of the studies was school-based and cross sectional studies. In Brazil, prevalence in students ranged from 8,4% to 11,6%. In Chile, the prevalence of smoking was very high (10,6% to 58,3%). There were four population-based studies in Brazil, three in Chile, one in Argentina, one in Paraguay, one in Venezuela, one in Peru, one in Bolívia and one multicenter study in South of America. The prevalence in the population-based study in Brazil was 8,9% (1989) and in Chile, in 1994, 1996 and 1998 was 24,3%, 28,9% and 25,9% respectively. Sibling’s and friend’s smokers showed high risks for adolescence smoking. Low schooling, older adolescents, boys, work and father’s divorce was also identified as risk factors. It is recommended more population-based studies with uniform criterion for smokers.Key words: smoking, adolescence, child, South of America.

PREVALÊNCIA E FATORES DE RISCO PARA TABAGISMO EM ADOLESCENTES – ESTUDO DE BASE POPULACIONAL, PELOTAS/RSResumo: O tabagismo é uma das principais causas de enfermidades evitáveis e incapacidades prematuras em países desenvolvidos. A maioria dos estudos em adolescentes no Brasil e demais países da América do Sul são realizados em escolares. O presente estudo teve como objetivo medir a prevalência e estudar fatores de risco associados ao tabagismo nos adolescentes. Através de um delineamento transversal de base populacional estudou-se uma amostra representativa de 1187 adolescentes de 10 a 19 anos, da zona urbana de Pelotas, sul do Brasil. Fumante atual foi definido como “estar fumando um ou mais cigarros nos últimos 30 dias”. A prevalência de tabagismo na amostra foi de 12,1% (IC95% 10,3%-14%). As prevalências foram similares para os sexos femininos e masculinos. Os fatores de risco para tabagismo na análise multivariada, por regressão logística foram: maior idade, razão de odds (RO) de 28,7(11,5-71,4), irmãos mais velhos fumantes RO de 2,4 (1,5-3,8), três ou mais amigos fumantes RO de 17,5 (8,8-34,8) e baixa escolaridade RO de 3,5 (1,5-8,0). Conclui-se que a prevalência de tabagismo na adolescência mostrou-se alta, na cidade de Pelotas. Campanhas antitabágicas devem ser direcionadas à comunidade e à família tendo o adolescente como alvo.

Palavras-chave: epidemiologia, fumo, adolescência, Brasil, população urbana, estudos transversais, base populacional, fatores de risco, prevalência.PREVALENCE AND RISK FACTORS FOR SMOKING IN ADOLESCENTS –A POPULATION BASED STUDY, PELOTAS/RS

Abstract:

Tobacco smoking is one of the main causes of preventable disease and premature incapacity in developing countries. Most of the studies on teenager’s smoking in Brazil and other South American countries have been restricted to schools. This study was aimed at measuring smoking prevalence and related risk factors among adolescents. A population-based cross-sectional study covered a representative sample of 1187 adolescents age 10 to 19 years, living in the urban area of Pelotas, Southern Brazil. Smoker was defined as someone who smokes one or more cigarettes in the last 30 days. The overall smoking prevalence rate was 12,1% (IC95% 10,3%-14%). Boys and girls had similar prevalences. Older adolescents (odds ratio–OR=28,7; IC95% 11,5-71,4), those with older smoker siblings (OR=2,4 IC95% 1,5-3,8), with three or more smoker friends (OR=17,5 IC95% 8,8-34,8) and those with low schooling (OR=3,5 IC95% 1,5-8,0) were more likely to be smoker, in the multivariate logistic regression analysis. The prevalence of smoking in adolescence in Pelotas was high. Campaign against tobacco must be planed to community and family including adolescents.

Key words: epidemiology, smoking, adolescence, Brazil, urban population, cross-sectional studies, population-based study, risk factors.

Download:Dissert 3 Maura 2000.PDF


Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia - Centro de Pesquisas Epidemiológicas